Ticker

Acabou a farra de atletas masculinos fantasiados de mulher em competições femininas.

Inclusão de mulheres trans nas categorias femininas é hoje um dos maiores debates no mundo esporte.
A proibição já está valendo também no ciclismo.

A Federação Internacional de Natação (Fina) anunciou no domingo (19/6) a decisão de barrar a participação de atletas transgênero das competições de elite em categorias femininas caso tenham passado por alguma das etapas da puberdade masculina.

Para que possam entrar nas competições femininas, conforme as novas regras, as atletas precisam ter feito a transição de gênero até os 12 anos de idade.

A mudança foi definida durante o congresso geral extraordinário da Fina, em Budapeste, onde acontece o campeonato mundial de natação. Aprovada com 71% dos votos dos 152 membros da federação, foi descrita pela entidade como "apenas um passo em direção à total inclusão" de atletas transgênero.

Em paralelo, a federação informou que vai criar uma categoria aberta para atletas trans.

Mais cedo, os membros da Fina haviam discutido as conclusões do relatório de uma força-tarefa sobre o tema composta por figuras importantes do mundo da medicina, do direito e do esporte.

Gente Decente

Sou brasileiro. Da gema. Conservador chato, renitente e resiliente.

1 Comentários

Por favor:
Sem stress e agressões, assim como posturas descabidas.
Comente, divirja mas com educação.
E principalmente: SEM AMEAÇAS. O autor deste blog não é idiota.

  1. Sem dúvidas precisa de uma categoria definida para as pessoas trans. É uma questão biológica, nada tem a ver com preconceito de nenhuma espécie. Acho que é simples compreender.

    ResponderExcluir
Postagem Anterior Próxima Postagem