Ticker

O difícil diálogo entre as FFAAs e o TSE.

Não há consenso, entre as FFAAs e o TSE, sobre o que precisa ser feito nas urnas para uma eleição limpa.

10, das 81, propostas feitas pelas FFAAs para a segurança das urnas foram aceitas pelo TSE.

O TSE acatou somente aquelas que podem impedir o acesso externo, por hackers, ou na contagem ou na apuração dos votos.

Porém, não aceitou as que impedem a possibilidade de fraude interna, feita por algum funcionário com privilégios de administrador e, tampouco, aquela que pedia a retirada de um executável que pode sim fraudar os resultados.

Ele continua escondido no software das urnas. E essa é a briga principal.

A permanência deste executável pode fraudar a eleição na cara de todo mundo e nada será descoberto, mesmo com uma auditoria profunda em todo o processo eleitoral.

O executável tem a capacidade de identificar o que é um teste ou uma votação real.
No teste ele "se cala", não faz nada. Na votação real ele trabalha intensamente calculando os votos necessários que um candidato programado precisa para vencer, tirando votos dos outros ou apenas de um, como ocorrido nas eleições americanas.

Pelo andar da carruagem não vai haver acordo neste ponto.

O TSE está intransigente em não atender tais solicitações das FFAAs e estas decididas a não aceitar tal intransigência.

Tal conduta do TSE pode ocasionar a adoção de um 142 dando para as FFAAs o controle absoluto de todo o processo eleitoral?
Pode, mas esta é a última opção pensada pelas FFAAs.

Elas desejam, por pressão, obrigar o TSE a acatar todas as sugestões propostas pelas FFAAs.

Caso não dê resultados o 142 é uma opção que será inteiramente ratificada pelas manifestações prometidas para o próximo sete de setembro e que prometem ser gigantescas Brasil a fora.
E, desta vez, com pedidos explícitos pela adoção do 142.

Gente Decente

Sou brasileiro. Da gema. Conservador chato, renitente e resiliente.

Postar um comentário

Por favor:
Sem stress e agressões, assim como posturas descabidas.
Comente, divirja mas com educação.
E principalmente: SEM AMEAÇAS. O autor deste blog não é idiota.

Postagem Anterior Próxima Postagem